sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Os estatutos do homem

Pra aliviar minha consciência das besteiras do post anterior vou postar alguma coisa legal. Trata-se de um texto belíssimo do Thiago de Mello. Vou transcrever apenas algumas partes, mas vale a pena ler todo.

Os estatutos do homem


Thiago de Mello

ARTIGO I. Fica decretado que agora vale a verdade,
que agora vale a vida,
e que, de mãos dadas,
trabalharemos todos pela vida verdadeira.

ARTIGO II. Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

ARTIGO IV. Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais
duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.

PARÁGRAFO
ÚNICO: O homem confiará no homem
como um menino confia em outro menino.

ARTIGO IX. Fica permitido que o pão de cada dia
tenha no homem o sinal de seu suor.
Mas que sobretudo tenha sempre
o quente sabor da ternura.

ARTIGO XII. Decreta-se que nada será obrigado nem proibido.
Tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes
com uma imensa begônia na lapela.

PARÁGRAFO
ÚNICO: Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

Seja parceiro do Um Cadim di Tudu! Enquanto isso, visite nossos parceiros:

2 comentários:

Ricardo Alves disse...

neste mundo é utopia...

° •.☆ Gi ☆.• ° disse...

É utopia mesmo..
Mas é bom sonhar de vez em quando.
Bjs!

 
© 2007 Template feito por Templates para Você